Thursday, September 15, 2016

Minha Independência

De todas as derrotas que eu vi no estádio contra o São Paulo.

De todas as vezes que eu não via graça em ganhar do Corinthians, o que eu queria era ganhar do São Paulo. Pergunte para o Oberdan Cattani ( se ele tivesse vivo, ele teria sorrido ), pergunte ao meu avô Vicente, ao meu pai Vicente , ao Galuppo, ao Barneschi, ou a mim mesmo que desde a época da escola não parou de ouvir dos amiguinhos sãopaulinos que o seu time era bicampeão da Libertadores e Mundial.

Daquela vez que fomos eliminados por cartão amarelo, pois é... eu estava lá.

Do 1x1 heroico do Palmeiras em uma Libertadores, de uns 5 x1 , meu primo Guigo que estava comigo diz que foi 4x1-ah ,menos mal-, em um nada saudoso campeonato Paulista.
Do gol do Cicinho de fora da área, Libertadores 94, 2005 e 2006.

Eu aguentei tudo isso. E nunca tinha visto uma vitória no estádio contra o São Paulo.

Parecia uma sina que não ia acabar nunca. Tá certo que sou um cara que não vou a muitos jogos, até gostaria de ir mais, mas como a vida é sempre atribulada, não consigo. E o Palmeiras a bem da verdade, machuca muito a gente. Se a sua vida está errada, o Palmeiras não vai amenizar, ele vai te colocar na mais divertida depressão.

Pra mim, o ano de 2012 foi o mais louco possível: meu pai doente, Palmeiras campeão da Copa do Brasil, o título que mais chorei, fui para New Jersey assistir o Bruce, e o Palmeiras no final do ano foi rebaixado.
O Palmeiras nunca dá uma folga para nós .

O Palmeiras é aquele amigo que sempre vai dar uma quebrada no seu ânimo: " mas como assim você comprou esse carro? É péssimo !
Essa mulher que você está namorando... já deu para o Joãzinho, é aquele serial killer do bairro" .

Mas quando o Palmeiras vence...

Nada mais importa. Por alguns dias aquela torcida sofrida vai poder bater no peito e dizer que irá pintar a cidade de verde e branco.

Ontem o meu dia começou inusitado:
Há quanto tempo eu não ia no estádio? A última (e primeira na nova arena) vez foi no começo do ano passado num amistoso contra os chineses. Time do Vágner Love e do Cuca (será?). Depois fui na festa que os palestrinos fizeram antes da final da Copa do Brasil 2015. Eu não fui no jogo, mas precisava estar na comunhão palmeirense, o corredor verde antes do jogo. É parece que deu certo: fomos campeões.
Então, faça as contas aí, meu chapa, fazia muito tempo que eu não ia no belo Allianz Parque.

Voltando ao início do meu dia, meu primo(Kaká) sãopaulino, não é o jogador, fez uma festa de aniversário, e quem estava na festa? O presidente do São Paulo , Leco.
O Leco é amigo da minha família há muitos anos. Ele foi síndico do condomínio no interior de sp , onde a minha família tem casa . Isso há muito tempo. Quando os dinossauros caminhavam sobre a Terra.

Eu como tenho essa besta mania de ser muito sincero , comentei com todos que nunca havia visto uma vitoria do Palmeiras frente ao São Paulo in loco.

Pronto, virei a chacota da festa, tudo com bom humor, diga-se de passagem. Mal sabem eles que numa certa ocasião comprei um ingresso do choque-rei, não fui e o Palmeiras ganhou, gol de Itamar. Veja você... No Morumbi .

Ontem, quando o São Paulo fez o primeiro gol , tudo isso estava em minhas costas . A minha vontade era pegar um bonde e voltar para uma época que o Palestra Itália ganhava do São Paulo.

Me deu uma vontade tremenda de sair do lugar onde eu estava no estádio.
Hoje não! Hoje não! Hoje de novo?! Não!

Se perder essa partida , eu quero que se foda esse campeonato, dane-se o título, dane-se! Bando de incompetentes! Cuca burro! Mexe aí !
Olha a seleção (e o cara da seleção) que você tem no banco...

E saiu o gol do Mina! Eu nem acreditei. A gente se acostumou a ser derrotado. "O que eu vou dizer lá em casa ?" . Já diria o sãopaulino narrador Sílvio Luiz.

Repita comigo no replay, saiu o gol!

Eu gritei, berrei, vi aqueles pontinhos pretos, tudo piscando,
eu já sabia( sabia o caralho ) que iríamos virar.

Segundo gol. Apoteose. Mais pontos pretos no céu. Ou seriam verdes?

Rouco de tanto gritar, com o pé doendo depois do chute que dei na cadeira após o primeiro e único gol do São Paulo.

Nós ganhamos!

A vitória da minha vida, até pouco tempo atrás eu já tinha entrado em parafuso, eu queria ir pra casa , agora eu tenho certeza que seremos campeões.

Em 2012 eu chorei com o título.Porque eu achava que nunca mais veria o Palmeiras campeão.

Em 2016, meu avô está no hospital, mais uma semelhança com 2012.

São 21 anos sem o título brasileiro.

Dia 7 de setembro , o dia que vi minha famiglia, o dia que encontrei meu amigo Mateus Carrieri , o dia que deixei de ser pé frio e vou colocar junto com os títulos que assisti no estádio: Campeonato Brasileiro 93,Copa do Brasil 98, Copa Mercosul 98 e tantas vitórias inesquecíveis, eu vou colocar o título do brasileirão 2016

E mesmo se não vier , o dia 7/9/16 foi o meu dia da libertação.

No comments: