Monday, June 11, 2018

She's The One

Meses, anos, séculos sem nos ver
a química continua a mesma
olhos emocionados
risadas que me deixam em paz por dias, dias e mais dias

talvez você nunca vai se sentir em paz com nenhuma outra pessoa desse universo de bilhões de estrelas.





DESESPERO


Não me dedique suas canções

Não me faça seus tolos poemas

Não indique seus filmes favoritos

Não tente me dizer palavras carinhosas


Felicidade não existe


Não tente me mostrar seus demônios de estimação

Não me fale daquela vez que você foi estuprada pelo seu melhor amigo

Não se abra comigo, por favor

Não me faça abrir a porta


Felicidade não existe




Não me fale sobre química dos casais

Não me ligue de madrugada

Odeio telefonemas

Há muito tempo eu só guardo uma ficha de orelhão




Só para ligar para ela e dizer que sim, felicidade existe.

Thursday, May 24, 2018

ESCOLHAS



Aqueles segundos antes da paixão

Aqueles voos antes do desastre

Aqueles momentos antes de começar a brigar

Aquele choro antes do beijo de despedida

Aquela dor que não passa nunca

Só com um abraço


Tenho me sentido assim, aquele que apanha em câmera lenta

E não lembra muito bem qual a vida que escolheu.

Wednesday, May 09, 2018

Ainda sobre Daytona

ONDE TUDO COMEÇA

Eu era fanático por videogames. Talvez tenha sido a minha grande primeira paixão. Só pensava e falava nisso. Eu e meu amigo Juliano vivíamos pra jogar. Eu comprava todas as revistas da época. Ação Games, Super-Games, Turbo-Games, algo assim, depois elas se fundiram, e virou Super-AçãoTurbo-Games, alguma coisa parecida.

Lembro num natal, eu e meu amigo sonhando com a compra do Super-Nintendo. Nós fazíamos planos de economizar a nossa mesada. Talvez tenha sido a primeira vez e única que pensei em economizar algum dinheiro. Sonhávamos em jogar o Street Fighter. "Caramba, imagina, jogar todo dia o Street Fighter, e não só no fliperama!".


Éramos ávidos por isso. Parecia ser um sonho muito distante. Bem antes disso, meu programa predileto era quando meu pai me levava no Fliper. É claro que eu devo ter jogado o Daytona. Mas nunca gostei muito de jogos de corrida, mas me lembro de um no Mega Driver, que eu curtia. Talvez era o jogo do Nigel Mansell, e um outro. Pois bem, meu amigo Juliano era fanático por corridas, hoje em dia ele virou um grande piloto de test drive de carraços, não sei o nome da profissão direito, só sei que o cara trabalha com a sua grande paixão da vida, sua primeira palavra quando aprendeu a falar, foi carro.

Eu, quando surgiu o Palmeiras, o rock, na minha vida, meio que abandonei os games.

Anos se passaram, e eu voltei a jogar muito no PC, um jogo de vôlei, e depois o Playstation com o Guitar Hero e Rock Band. Mas aquela paixão sumiu como o garoto que desiste da mulher de seus sonhos.

No ano retrasado, eu comprei um videogame dos meus amigos que trabalhavam comigo na galeria na 7 de abril, eles tinham uma loja de videogame, e eu tinha uma loja de bolos, doces, café e salgados. Todo dia eu ficava vendo aqueles jogos, e resolvi comprar um Super-Nintendo. Na verdade, é só a carcaça do Super-Ness, mas dentro tem 8 mil jogos de Mega, Master, Atari, Super, tem tudo.

Joguei algumas vezes, mas não muito. Até tentei dar de presente para uma pessoa, mas assim como o personagem da peça "Daytona", a gente só faz merda, mesmo às vezes não querendo.

Às vezes é um jogo de vida e morte, uma questão de vida e morte, às vezes é só uma paranoia de nossas cabeças.

Somos exagerados. Por quem gostamos, fazemos o impossível, às vezes só o que fica é o sangue, o sorriso besta na cara, e aquela vontade de dizer que é só mais um game idiota que fizeram a gente gostar pra não enfiar a cara na parede.

Tente assoprar a fita da sua vida.

Sunday, April 29, 2018

DAYTONA

DOIS MONSTROS


Cuidado. O desvio é necessário. Cuidado. Você uma hora ou outra vai fazer merda.


Se não for fazer, vai pensar.


Isso vai afundar o seu cérebro. Você irá tentar espremê-lo em busca de alguma alternativa, mas a única rua é sem saída, e há muito tempo a única ambulância da cidade foi desativada.


Sua namorada vai lhe fazer dar risada espremendo seus cravos.


Ela no fundo sabe que você irá arruinar tudo.


Mas você é um cara bacana.


Todos gostam de você.


Menos você.


As pessoas irão te chamar de monstro, as pessoas também vão chamá-la de monstro.


Convém vocês chegarem a um acordo, e antes que as lágrimas jorrem, comece a correr.

Sunday, April 22, 2018

HOMETOWN


Eu juro pra vocês que não queria sentir tanta emoção. Ser tão sensível para as artes. Mas acontece o seguinte: quando eu vejo uma obra tão pungente como essa peça teatral "Interiores", eu acabo desabando.
São quatro histórias de personagens que estão envolvidos com a sua casa. O lugar onde moram, o lugar onde vão morar, a sua infância, suas dores e lembranças de sua construção como ser humano.
Nunca senti isso assistindo uma peça, mas na primeira história, na primeira cena, eu só queria que acabasse logo, porque eu não suportava mais ver toda aquela dor. Rebecca Leão é uma das maiores atrizes que eu vi em cena.
Logo na introdução, no solo de Rodrigo Sanches, vi que a peça seria muito boa. Seu desempenho logo ali me cativou.
Eu poderia falar de todos os atores, da direção, do roteiro, da operação técnica do meu brother Gabriel Oliveira, mas eu só quero dizer: PARABÉNS!
Lucas Mayor e Marcos Gomes vocês detonaram com esse cara aqui (rs).
Algumas pessoas sentem mais que as outras, algumas pessoas sentem mais as porradas da vida.
É, pai, você tem razão.



Saturday, April 14, 2018

The Last Dead



Olhei pra ele
Vi um cara que acertou nos cavalos no jockey
De prima
Com a facilidade do Romário na grande área


Extirpou o passado
Jogou fora todas as cartas que mandou para a sua namorada quando esteve no Vietnã
Deixou escorrer pelo ralo
Todas as mágoas


Na sua última dança
Último bilhete de metrô
Última sessão de cinema
e última caipirinha


Na sua última morte, ele me fez gozar.